Amarelo Manga – Uma Análise Crítica

Por favor, veja essa cena antes de ler a análise:

       Bom, hoje vamos falar de amarelo manga, filme dirigido por Cláudio Assis que basicamente é uma comédia, o que é a realidade das pessoas no Brasil em geral: baixaria, sujeira, corrupção, traição. A premissa do filme é essa realidade aplicada nas favelas, desde a traição de Canibal, para a compra de corpos para atirar de Isaac. A montage que acontece no final do filme, seguida de um discurso de Lígia, portanto, devia reforçar a mensagem recorrente do filme, no entanto, no entanto, ela apenas mostra as pessoas daquela camada da sociedade e seus cotidianos. Uma cena completamente deslocada do filme, até se olhar o contexto dela no longa e na própria linguagem cinematográfica deste.

       Amarelo Manga retrata atrocidades como o cotidiano das pessoas naquela situação “tudo acontece naquele dia… e aí vem outro dia e é sem parar”, Amarelo Manga retrata meta narrativamente o tão fora do mundo que é a realidade naquele lugar, vozes indo de over para in para off, de modo a nos colocar numa posição de estranhamento em relação ao filme, recurso já utilizado no teatro épico russo para engajar os espectadores socialmente, o que esse filme apesar de ainda ser uma comédia, tem o diretor ainda atingindo temas como tráfico de drogas, adultério, religião. Algo que pode afetar qualquer uma das pessoas da sequência, independente de raça, cultura ou tipo de trabalho. Mas que na verdade, a maioria espera que esteja ocorrendo, é preto, esperam que roube, usa roupas pequenas, é puta, e todos eles veem isso ocorrendo, sem ter a voz para falar contra, enquanto os atores têm a liberdade de falar e abusar das formas de linguagem, num discurso, numa mudança de origem da fala, com o objetivo de enganar a audiência, como esse e outros filmes enganam ao tentar retratar a vida dessas inocentes pessoas como uma baderna cheia de imoralidades.

       O que nos leva ao meu último ponto: a quarta parede, o filme não desconhece do martelo, nem da foice, mas essa é uma discussão pra outro dia, os até então figurantes olham para a câmera como se dissessem: “Figurantes só no filme ou também na vida real?”. O que reforça o ponto anterior ao voltar ao estranhamento da platéia, eles olham diretamente para o espectador, olhos pegando a projeção deles a partir do que foi mostrado antes, sem eles poderem falar nada, mas constantemente lembrando que aquilo não é a realidade, apenas uma história sobre a realidade.

 

Advertisements

reagan – does this even make sense?

Light side:

 

Dark side:

 

Beautiful song…

Sang by reagan:

https://www.youtube.com/channel/UC-eo…

Her twitter: @YT_Reagan https://twitter.com/YT_Reagan

Her Instagram: lightwemade

https://www.instagram.com/lightwemade/

Link to the song (Unlisted):

https://www.youtube.com/channel/UC-eo…

does this even make sense?

lyrics:

it gets so confusing
trying to follow your footsteps
every part of my life
depends on yours
its stressful
i don’t know where to go now
you’re not in my life
telling me whether
something’s wrong or right
and I just don’t know where to go from here
it’s heartbreaking
feeling like you’ve gotta walk on eggshells
just to talk to you
and it’s different now
cause you’re a thousand miles away
and I’m not there tonight
but she’s there tonight
and you cross your heart and hope to die
and told me that she’d never see the light
but a relationship with you and her is inevitable
when it comes to me
cause nothing ever works out perfectly,
i swear.
and all I ever wanted to do was hold your hand
and I know i fucked that up
oh, i know i fucked that up,
what a simple thing to fuck up.
you and I spent the last few months together
you told me over Christmas that you
think we’d be better apart
and I just sighed
I don’t know what to say about that lie,
cause it’s not my fault
I’m not TRYING to ruin it this time
and now I’ve got
this burden on my shoulders
I swear I told you I’m not
the person you saw
a year ago
I promise, if you come back around I’ll never let you go.

 

 

Re: O que TODO Otaku deveria saber

Estou respondendo a um vídeo de 1 ano atrás, feito por @NekoTenshis2 (Twitter), e basicamente contestando o que mexeu com minhas engrenagens. Aqui o vídeo dela para contexto:

https://youtu.be/yxyIufPV1Lc?

 

“Os japoneses chamam todo tipo de animação “anime.”

Anime is a Japanese Colloquialism, eles não chamam tudo de anime, eles chamam de animação – ou animêshon, outro motivo porque se fala /animê/ e não /anime/-, só certas pessoas chamam  anime, e essa palavra geralmente vem com uma conotação infantil no japão, assim como manga, o que reforça o estigma contra Otakus e desconsidera esses gêneros como arte.

 

“Não existe anime ruim”

Se você assiste anime o suficiente, tem graus de consideração na análise de anime. Inicialmente, tudo é bom, claro, você não tem gosto! Depois de um tempo, você pode conseguir notar problemas no conteúdo, tema, execução. Finalmente, depois de ver muito anime, você já consegue notar tudo que tem de errado com tudo e todos, e pqp, realmente importa? É como a famosa frase “Anime é lixo, assim como eu”, E falando nisso:

“Você não precisa acompanhar DBZ ou One Piece”

Dragon Ball e One Piece são dois animes clássicos que muitas pessoas apreciaram e cresceram com, assim como o igualmente enchedor de linguiça, Naruto. Esses desenhos, portanto, são na maioria das vezes assistidos por nostalgia ou por pressão social, mas hey, não abandone de seguir apenas por isso.

“Não precisa ser uma Wikipédia ambulante”

Claro, não precisa ser uma Wikipédia ambulante, mas se você realmente gostar da arte, você não tá focando nos nomes dos personagens, no nome das cidades, nem até no nome do anime ou manga. O que realmente importa são os conceitos e os temas por trás do produto. Considerando os animes de temporada, podemos ver uma grande semelhança entre títulos, a ponto de ser necessário muito conhecimento sobre a cultura dos meus desenhos japoneses  para discernir quais são bons (K-on e Hibike), quais são ruins (Imouto Sae Ireba ii x Himouto Umaru Chan) , e quais são terrivelmente bons (Yuru Yuri)! Consequentemente, é muito necessário o conhecimento geral sobre anime, e não sobre apenas certos animes.

“Já no Brasil, o termo Otaku foi usado para falar das pessoas que gostam e admiram a cultura do japão”

O termo Otaku (Aquele cuja vida é saturada nas coisas do dia a dia) foi remodelado no Japão antes da cultura chegar no Brasil, o principal responsável por isso foi Hideaki Anno, criador de Evangelion e Otaku no Video, esse último que sedimentou a idéia que um Otaku pode ser alguém descolado, e legal, assim como um humano quebrado, um neet ou até um Hikikomori. Semelhantemente como o que aconteceu com o termo nerd, aqui no mundo ocidental. Mas agora, termos como weaboo, esse aí é o que deviam se preocupar com. 

https://www.youtube.com/watch?v=OFQQALduhzA

 

Enfim, isso foi uma experiência interessante.

Ignit

Imagina ser um Hikikomori.
Agora imagina um YouTuber.
Mistura os dois e eu mori,
Olhei errado perdi os lados e agora estou com tuber
culose, ferrado, deitados, estamos, ferrados.

Num quarto fechado
Luzes apagadas
O meu nome entalhado
Nas memórias regaçadas de um?
Uma? De nós? Uma sequência menor!
Re fa lá e então muitos dós…

O que mais doía
Era sangra corrida
naquela maratona ao nada
pra aonde foram e reluto
“Ainda agora mainha foi quando eu me abri a tudo”
YouTube.com/notmebutnotyoutoo

 

Minimalism – A review of Important things

Minimalism is a documentary availiable in netflix that you really shouldn’t and don’t need to watch.

The documentary “Minimalism” brings an old utilitarian way of life back to the present. Although the utilitarian philosophy is valid on it’s own, this video brings various opinions and scientific studies, while being as easy to digest as possible.
The cinematography and pacing is really American, conjoined with the sound design, which is very good on it’s own, not very challenging nor innovative, nevertheless.
Overall, the documentary is very easy to digest and will feel very light to the general audience. Which could and is the point, what makes the minimalist ideology a lot more noticeable, since it the long picture isn’t rich at all.
I deem it a Predictable and basic/10.